Veja algumas das atividades realizadas na Casa

 

Artesanato

 

Duas vezes por semana, durante o dia,

eles recebem aulas de artesanato e utilizam sua criatividade como fonte de terapia.

 

(Fotos: Andrea Gama)

 

Ioga

 

Os Acolhidos realizam a atividade com um professor voluntário, uma vez por semana. Trabalham o corpo, a mente e acalmam o espírito, auxiliando no tratamento terapêutico.

 

 

 

Além dessas atividades, os atendidos também recebem, diariamente, aulas de português, matemática e história geral. E participam de Projetos como Reciclagem e transformação de pets em fio (revertido em renda para a Casa), ajudam no cuidado com a horta, na manutenção das instalações. Enfim, mantêm-se ocupados durante toda sua estadia em internação. Todas as noites participam de reuniões baseadas nos ensinamentos do espírito Luiz Sérgio, criador do Programa Renascer, para dependenetes quimicos. Eles também participam dos eventos da Casa e das reuniões espíritas abertas ao público.

 

O maior diferencial no Acolhimento aos internos da Fundap está no carinho com que são recebidos, tanto entre os funcionários, gabaritados para lidar com os problemas pelos quais estão, temporariamente, debilitados, como pelos Acolhidos que ali já se encontram.

 

Eles chegam enviados por Assistentes Sociais e através de convênios com Postos de Saúde. Já vêm medicados para o período de abstinência e são acompanhados pelos médicos dos Postos durante esse processo. São levados na Kombi da Casa e acompanhados durante todo o período em que se encontram fora dela. O processo de internação é indicado pelos médicos dos Postos, mas é voluntário. Importante ressaltar que a família participa do processo, recebendo a visita de uma Equipe da Casa Irmã Scheilla para ajudá-la na sustentação psicológica, tanto do membro familiar internado, quanto do restante dos familiares. À família também cabe visitar seu familiar semanalmente.

 

Ao chegarem na Casa, todos os Acolhidos convivem com os que costumamos chamar de Amigos, ou Família, da Fundap. São aqueles que trabalham voluntariamente, cuidando, se importando com o resultado do amparo que esta pausa irá proporcionar a eles. Lutam juntos, para que esta fase da vida seja temporária. Aprendem a se autoconhecerem, propiciando-lhes o autoconhecimento.

 

E, mais do que tudo, os consideram Irmãos de caminhada  que a vida se encarregou de colocar no caminho de cada um, como privilégio para aprendizado de todos. É com esse carinho e verdadeiro Afeto, além de todo o respeito, que são tratados todos que chegam à Casa Irmã Scheilla, sem exceção. 

 

E os que mais tarde se desvinculam, voltando à vida social já fortalecidos, também têm retornado à Casa para rever seus Amigos e Irmãos. Às vezes ajudando no processo dos que estão chegando!